Dumbo devia ser o principal, mas seu personagem acaba sendo secundário no filme que leva o seu nome.

Com a Disney produzindo seus live-actions e sendo muito bem recompensada pelos fãs, a empresa nos traz agora a história do nosso elefante de orelhas grandes voador Dumbo, mas que acaba se tornando um coadjuvante de sua própria história.

Sob a direção de Tim Burton, somos levados ao circo dos Irmãos Medici que no momento passa por situações financeiras terríveis onde até mesmo seus próprios funcionários realizam diversas funções. Nesse circo cheio de atrações de pessoas consideradas diferentes, conhecemos duas crianças que acabaram de perder a mãe, Milly (Nico Parker) e Joe (Finley Hobbins) e finalmente recebem de volta seu pai Holt (Colin Farrel) que estava na guerra. Colocando suas últimas esperanças Max Medici (Danny DeVito) compra uma elefante femea que está gravida. Contudo o nascimento do bebê não foi o que ele esperava já que o mesmo nasce com as orelhas extremamente grande seus planos de arrecadar mais dinheiro, mas o que ele não esperava era ter adquirido um bebê elefante que sabe voar. Imediatamente o sucesso chega e um empresário do ramo de circos, oferece uma parceria, trata-se de V.A. Vandevere (Michael Keaton) um homem que obviamente não possui escrúpulos e sua maravilhosa trapezista Collete (Eva Green).

Com efeitos especiais fantásticos, cenas adaptadas de maneira certa, o longa consegue atrair a atenção dos telespectadores por sua aura mágica e nostálgica. O filme conta com um elenco fantástico sem dúvida, que nos faz querer continuar assistir até o final, Tim Burton acerta nessa adaptação ao juntar a história dos humanos com a dos animais. Dumbo mesmo sendo um filme maravilhoso, não possui o mesmo peso de um filme como Rei Leão, então o fato de colocarem os humanos e nos darem uma história para acompanhar junto a dele faz com que o filme seja um bom programa familiar.

NOTA: 4,0/5,0

Leia também