“Entre Tempos(Ricordi?)” é o segundo filme do diretor italiano Valerio Mieli (Dieci Inverni) e conta a história de um casal que não tem seus nomes revelados (Vamos chama-los de Entusiasmo e Melancolia), algo que permite com que aquele casal se torne na nossa mente qualquer outro casal que conhecemos ou fomos. 

Entusiasmo (Linda Caridi) é uma jovem professora e artista de família bem estruturada, conhecida por estar sempre sorrindo e nunca passou por um único trauma sequer. 

Melancolia (Luca Marinelli) é um jovem pessimista, sempre consegue ver o pior de todas as situações e vive atormentado pelos traumas do passado.

O filme começa com o casal contanto a amigos como se conheceram. A partir de então já somos apresentados a maneira como Mieli pretende contar sua história por meio da fotografia. Enquanto ela (Entusiamo) está vestida de branco, sorridente e iluminada, ele (Melancolia) está em um terno cinza em ambiente totalmente apagado e esse clima conduzirá toda relação deles. 

“Entre Tempos” quebra essa ideia de que há sempre alguém 100% certo ou errado em uma relação e nos mostra visões diferentes baseadas nas experiências vividas.

Valerio acerta em fazer uma edição não linear do longa, expondo momentos da vida de cada um que ilustre determinada atitude. 

Entusiasmo e Melancolia até sabem que as chances do romance ir adiante é bem remota, mas algo no jeito de ver o mundo um do outro é atrativo demais para que não mergulhem fundo.

O longa é uma experiência cinematográfica diferente, que mexe com as emoções de quem assiste ao mesmo tempo em que quebra muitos clichês dos filmes de romance. Mostra também que tanto o pessimismo quanto o otimismo em excesso são prejudiciais as relações. Sem dúvidas, vale a ida ao cinema. 

Entre Tempos é distribuindo no Brasil pela Cineart Filmes e estreia oficialmente na quinta-feira, dia 22 da agosto. 

 

 

Leia também